Make your own free website on Tripod.com


Arquivos Digitais

Fórum da Qualidade

 

Folha de Rosto

 

Controle de Alterações

Versão

Data de Aprovação:

1

                10/06/2005

 

 

1. OBJETIVO

 

Padronizar e fornecer diretrizes para a execução racionalizada dE PISO CIMENTADO.

2. APLICAçãO

 

É aplicável à equipe de profissionais composta por pedreiro, AJUDANTE, mestre de obra e engenheiro.

 

3. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA

 

Projeto ARQUITETURA

4. DEFINIções

 

Não aplicável.

 

5. responsabilidade E autoridade

 

Vide íntegra do procedimento.

 

6. procedimentos

 

6.1. Materiais e equipamentos

 

bullet

água

bullet

cimento

bullet

pigmentos (se necessário)

bullet

argamassa

bullet

bullet

enxada

bullet

Mangueira

bullet

girica e/ou carrinho de mão

bullet

trena metálica e/ou articulado

bullet

nível de bolha

bullet

rolo texturizado

bullet

desempenadeira

bullet

colher de pedreiro

bullet

régua de alumínio

bullet

broxa e espuma

bullet

escova ou vassoura de piaçava  

bullet

aparelho de nível e/ou mangueira de nível

bullet

soquete e/ou compactador mecânico

bullet

EPIs: capacete, bota, luvas de raspa e óculos de segurança.

 

 

6.2. Método executivo

6.2 Condições para início do serviço

 

A limpeza da base deve estar concluída.

6.3. Execução do serviço

 

Limpar muito bem a base, transferir os níveis para ambientes, a partir da referência fixada pelo topógrafo, observando-se que em áreas molhadas com previsão de ralos para escoamento de água, o caimento deve ser em torno de 1%.

Umedecer com broxa os pontos onde serão posicionados as taliscas, polvilhar cimento e assentá-las com a mesma argamassa que será utilizada para o piso cimentado, Assentar taliscas junto aos ralos ou pontos de escoamento, garantindo o caimento mínimo.

Observar que no preparo da argamassa seja obedecido o traço estabelecido em projeto / memorial descritivo ou orientado pela engenharia de obra, sendo que no caso a mesma deverá possuir baixa umidade, com consistência tipo farofa, e a quantidade de areia poderá variar conforme características do ambiente, podendo ser empregados os seguintes traços:

 

- Carpetes (carpetes têxteis ou de madeira, vinílicos, outros):       1:4 a 1:5

- Base para impermeabilização:                                                                              1:3 a 1:4

- Revestimentos espessos (cerâmica, pedra, outros):                            1:5 a 1:6.

 

Limpar novamente a base, se necessário, lavá-la com muita água, polvilhar cimento (aproximadamente 0,5 kg/m2), usar vassoura para espalhar a mistura de água e cimento, formando uma nata de adesão, primeiramente nos locais onde serão realizadas as mestras e só depois nas outras áreas do piso.

Executar as mestras entre as taliscas niveladas, conferindo ao fim do trabalho os nivelamentos, retirar as taliscas, molhar com muita água a área entre as taliscas, polvilhar cimento (aproximadamente 0,5 kg/m2), lançar e espalhar a argamassa com consistência de farofa, de maneira que se ultrapasse o nível das mestras, compactar a argamassa até o nível desejado, observando-se que a camada executada possua no máximo 5cm de espessura, caso necessário lançar e compactar outras camadas, respeitando-se o limite de espessura.

Sarrafear toda a superfície após o lançamento e a compactação da argamassa, até atingir o nível das mestras, polvilhar cimento (aproximadamente 0,5 kg/m2) e desempenar com desempenadeira de madeira, este acabamento é ideal para posteriores revestimentos aplicados com argamassa colante, admitindo-se ondulações de no máximo 3 mm.

Observar que pode-se realizar acabamento texturizado no piso cimentado neste estado, bastando borrifar água em pequena quantidade e passar rolo texturizador.

Desempenar (se necessário) com desempenadeira de aço, após alisamento com desempenadeira de madeira, as áreas onde o revestimento a ser aplicado seja de pequena espessura (carpetes têxteis ou de madeira, vinílicos, outros), movimentando a desempenadeira em uma única direção e borrifando água para auxiliar no trabalho.

Queimar o desempeno feito com a desempenadeira de aço nos locais estabelecidos em projetos ou pela engenharia de obra, geralmente aqueles de maior trânsito de pessoas e/ou equipamentos.

Providenciar para que não haja trânsito de pessoas e/ou equipamentos sobre o contrapiso no prazo mínimo de 2 dias, observando que preferencialmente deve-se aguardar 28 dias da cura do contrapiso para colocação dos pisos.

Limpar o piso cimentado em torno de 14 dias após sua execução.

 

7. Registros

 

Ficha de Verificação de Serviços

 

8. Anexos

 

8.1.  Ficha de orientação de Serviços

 

8.2.  Ficha de Verificação de Serviços